Marcelo Costa

Nascido na cidade de Andradas, Minas Gerais, o apresentador Marcelo Costa desde pequeno já estava envolvido com as atividades artísticas.

Junto com seu irmão Mauro, o apresentador formou a dupla Estrela do Brasil para apresentar-se no programa Serra da Mantiqueira, apresentado pelo Capitão Balduíno que sempre dava oportunidades aos novos talentos como As Irmãs Galvão, Liu e Leo e a dupla Antonio e Antoninho.

 

Já adolescente, o preconceito com a música sertaneja domina as paradas de sucesso e Marcelo desiste do sertanejo e começa a cantar músicas populares como bolero, que dominava as rádios do país. No ano de 1962, Marcelo lança o seu primeiro disco, Brasil Sertão pela gravadora Chantecler.

 

O seu primeiro sucesso foi o bolero Ei de Ser a Esperança em sua Vida, uma declamação do radialista Sergio Galvão.

 

Junto com a cantora Nalva Aguiar, Marcelo Costa apresentou o seu primeiro programa de tevê. Estreava na Rede Bandeirantes, o independente Brasil Rural.

 

Em 1984, Marcelo estreou o programa que o consagrou. O que poucos sabem é que ele não seria o apresentador oficial do Especial Sertanejo. Graças à uma briga do radialista Zé Betio com a direção da Record, a emissora resolveu substituir o apresentador Zé Russo e Marcelo Costa continuou o programa, que era mensal, depois virou quinzenal, e tornou-se semanal, alcançando mais de 18 pontos de audiência.

 

Até 2000, Marcelo permaneceu na Record, mas como o Especial Sertanejo era o programa mais antigo da emissora e, naquela época, a rede já aspirava rejuvenescer a programação nos moldes globais, a emissora decidiu tirar o programa do ar sem nada avisar.

 

Pouco tempo depois, Marcelo foi contratado pela CNT, que tinha uma parceria com a Gazeta, onde ficou por três anos.

O cantor e compositor mora na cidade de Campinas, interior de São Paulo, em uma bela casa de mais de 800 metros de construção.