“Jogou ela no chão”, mãe de Duda Reis conta sobre agressão

Parece que a lavação de roupa suja da família de Duda Reis em relação ao namoro com o cantor Nego do Borel não vai terminar tão cedo.

Primeiro foi o pai de Duda, Luiz Fernando atacar novamente a filha, exigindo que contasse a verdade sobre seu relacionamento e insinuando que a modelo já teria sido agredida pelo cantor

“Larga de ser idiota e acorda para a vida! Conta a verdade para as pessoas! Nada é pior que vender a família por um trocado de um mau-caráter que agrediu você, sim, que quase te abandonou no meio da estrada em Portugal, que te agride verbalmente, que faz você ter medo! Palavras suas, não minhas! “Larga de ser idiota e acorda para a vida! Conta a verdade para as pessoas! Nada é pior que vender a família por um trocado de um mau-caráter que agrediu você, sim, que quase te abandonou no meio da estrada em Portugal, que te agride verbalmente, que faz você ter medo! Palavras suas, não minhas!”.

Depois do pai foi a vez agora da mãe de Duda, Simone Reis, se pronunciar

‘Você ia gostar de ser empurrada na rua e jogada no chão? Ser expulsa de uma van no meio de uma viagem internacional? Ser traída pra C#%¨& e saber? Duvido que sua mãe ia te deixar em paz”, escreveu a médica.

Por sua vez Duda e Nego do Borel resolveram pronunciar através de um comunicado

“A atriz Duda Reis informa que nunca foi agredida por nenhum homem e muito menos pelo seu noivo, nego do Borel. Como qualquer casal, já se desentenderam e como prova que não houve tal agressão, não há prova alguma em justiça.

Luiz Fernando constantemente vem direcionando ofensas à Nego do Borel por diversos motivos incabíveis prejudicando midiaticamente a imagem de sua própria filha. Em meio a tantas calúnias e difamações, em um ato de desespero, Duda disse que o processaria para que ele parasse de espalhar inverdades com o seu nome.”

O cantor também não se calou

Pela primeira vez vou falar abertamente sobre algumas situações que me machucam muito: o preconceito com um homem preto da favela que venceu na vida. Desde pequeno sempre passei por muitas situações desconfortáveis e, a princípio, não entendia o porquê. Mas com o tempo enxerguei os motivos que faziam as pessoas me olharem torto no shopping, na praia e em qualquer outro lugar fora das favelas: ser um jovem preto que fala gírias. Graças a Deus e após muito esforço, consegui vencer na vida e atingir lugares inimagináveis. Para muitos, isso é inadmissível. Pessoas que acham que eu “só posso ser bandido” e que tentam criminalizar as minhas atitudes. Mais uma vez, hoje, eu sofri com inverdades sobre mim partindo de pessoas que se sentem ofendidas com a minha felicidade”, inicia ele no texto.

“Em respeito às pessoas que eu amo, sempre coloquei panos quentes e procurei não ligar para essas agressões gratuitas. Mas isso cansa. Até quando seremos obrigados a aturar que tratem todo preto favelado como bandido? Chega! Eu vou atrás dos meus direitos e vou tomar as devidas providências. Este preconceito é um mal que já deveria ter sido extinto da nossa sociedade. Não vou permitir que tentem me calar nem caluniar mais. Meus advogados que estão cuidando de tudo agora!”, finaliza.