Maternidade acusada de privilegiar Bruno Gagliasso e Giovanna Ewbank, terá que indenizar casal

Um casal que entrou na Justiça, depois de se sentirem lesionados com a materidade do Grupo Perinatal, no Rio de Janeiro, após os atores Bruno Gagliasso e Giovanna Ewbank terem autorização para ter um fotógrafo durante o parto de Zyan.

Segundo o site Migalhas, o hospital foi condenado a pagar R$ 40 mil de indenização ao casal.

A juíza Livia Mitropoulos Esteves Dias, considerou que a maternidade errou ao negar ao casal o direito de registrar o parto co fotógrafo profissional e conceder o direito de privilégio aos atores.

Na decisão juíza constou que “comprovam a ausência de justificativa idônea para o tratamento diferenciado a um casal em idêntica situação de todos os outros, exclusivamente em razão de fama, ‘mormente em se tratando de período pandêmico, em que a preocupação do hospital deveria ser de obedecer à diretrizes governamentais para não causar risco à saúde coletiva (bem comum) e não com o retorno comercial de postagem em mídia social’ “.

Segundo a juíza, “não basta o discurso ético e solidário, é preciso agir eticamente e solidariamente”.

“Vislumbram-se os sentimentos de frustração, revolta e diminuição sofridos pelos autores, que não puderam registrar profissionalmente o momento mais importante de suas vidas, mas viram tal permissão a outro casal, exclusivamente em razão de fama e do retorno midiático conferido à própria demandada.”

A decisão foi homologada pela juíza de Direito Flávia Santos Capanema de Souza.

Siga e saiba mais em @vandiniz.obuxixo