Morre o diretor Maurício Sherman, aos 88 anos

Maurício Sherman

Maurício Sherman

O diretor Maurício Sherman morreu aos 88 anos no Rio de Janeiro. Um dos criadores do Fantástico, Sherman foi um dos principais nomes da televisão brasileira.

Na Globo, foi diretor executivo da Central Globo de Produção e dirigiu inúmeros humorísticos, como Riso Sinal Aberto (1966), Bairro Feliz (1966), Faça Humor, Não Faça Guerra (1973), Chico Anysio Show (1981), Os Trapalhões (1981) e Zorra Total (1999).

Sherman também esteve à frente de programas de variedades, como o Noite de Gala (1966), Moacyr Franco Show (1977), Video Show (1994) e Domingão do Faustão (2001). Foi diretor artístico de “TV Colosso”, popular programa infantil dos anos 1990.

Na dramaturgia, dirigiu a primeira versão de “Gabriela Cravo e Canela”, primeira novela da Globo gravada em videoteipe. Além da direção, também fez uma participação como ator na adaptação da obra de Jorge Amado.

Nascido em 1931 em Niterói, Sherman estudou Direito na Universidade Federal Fluminense. A carreira no entretenimento começou no teatro, como ator. No cinema, viveu vilões das comédias da Atlântida e dublou desenhos clássicos da Disney, como “Pinóquio”.

Na televisão, passou pela Tupi, Paulista e Excelsior antes de chegar à Globo. Também teve passagens pela TV Educativa, Manchete e TV Bandeirantes.

 

Fotos: Agência Globo