Geral

Sem dinheiro, Globo pode perder Copa de 2022

Desde 1970 a Globo transmite a principal competição entre seleções do mundo. Mas parece que não está transmissão está com seus dias contados.
Segundo o colunista Cosme Rimoli, a emissora entrou na justiça para não pagar a parcela que vence dia 30 de junho, no valor de 90 milhões de dólares, cerca de 472 milhões de reais.
A Globo tem um acordo de exclusividade para a transmissão dos jogos de 2918 a 2022 com a Fifa, desde 2011, no valor de 600 milhões de dólares, R$ 3,1 bilhões de reais, parcelados em 9 vezes.
Dessas 9 parcelas, já foram pagas 6, porém a emissora já mostrava desde maio deste ano, que não iria conseguir pagar a parcela de 2020. Nada resolveu novas tentativas de acordo com a Fifa, que exige que o contrato assinado seja cumprido.
A revista Veja divulgou alguns trechos da ação que a Globo entrou na 6 Vara Empresarial do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, há oito dias.

“A crise é tão grave que a única saída razoável talvez seja o término definitivo do Contrato de Licenciamento, como a Globo, de boa-fé, deixou claro para a Fifa na carta remetida àquela entidade em 19.5.2020:

“‘Em relação ao Acordo de Prorrogação 2018/2022, à luz das circunstâncias materialmente alteradas devido à crise da Covid-19, o valor dos direitos tornou-se desequilibrado e oneroso demais. Diante do exposto, a Globo não vê alternativa real senão buscar a rescisão’.”

“Não é lógico nem razoável exigir da autora [Globo] o desembolso de cerca de R$ 450 milhões (a que se somam os custos fiscais da remessa de valores, que contratualmente recaem sobre a autora) para honrar o pagamento de uma parcela de um contrato que, já sabemos, terá que ser renegociado, com substancial redução de valores (quiçá extinção).

“O impacto financeiro desse pagamento será muito grave para a autora, especialmente nesse momento.”

“A recessão, a crise política, com os protestos de 2015, que culminaram no impeachment da presidente Dilma Rousseff, a substancial desvalorização da moeda (em 2011, a cotação média do dólar foi de R$ 1,90), os impactos das operações de combate à corrupção, notadamente, a Operação Lava-Jato deflagrada em 2014.

“São apenas alguns dos elementos que explicam, por exemplo, a queda de mais de R$ 6 bilhões na expectativa de gastos com publicidade que se inha no ano de 2011, quando firmado o contrato, comparado aos números atuais — e isso sem levar em consideração os efeitos da pandemia da Covid-19.”

To Top
%d blogueiros gostam disto: