Tatuagem do Padre Fábio de Melo não é novidade. Outros religiosos já fizeram!

O Padre Fábio de Melo surpreendeu todo mundo ao mostrar a primeira tatuagem. O sacerdote agora ostenta uma abelha na mão.

O desenho, obra realística elogiada por muitos, é de autoria do tatuador Fernando Shimizu, queridinho dos famosos. Kaká Diniz, Emerson Sheik, dentre outros, já passaram pelo estúdio do artista.

Nas redes sociais, o Padre falou sobre a novidade. “Ela tem apenas 2 cm. Obra de arte criada e executada pelo meu amigo @fernandoshimizu. Dei a ela o nome de Ana, o mesmo de minha mãe. Tudo começou com uma abelha que ficava pousando em mim, durante as lives das missas dominicais. Uma minha, outra na @zizafernandes. Quem vem acompanhando já me ouviu falando sobre elas. Será meu sinal. De um tempo difícil, mas também bonito. De reclusão, de vida interior, de buscas e realizações silenciosas. O poeta tem razão: ‘abelha fazendo mel vale o tempo que não voou…’, postou.

Após a notícia circular, o Padre Fábio ouviu muitos elogios e críticas. Mas ele não é o único.

Outros sacerdotes já fizeram tatuagem e tiveram que reagir às críticas dos céticos e fiéis.

Apóstolo Estevam Hernandes


O líder da Igreja Renascer em Cristo, Estevam Hernandes, já exibiu suas tatuagens em público. Em uma, o Apóstolo homenageou a memória do filho, Bispo Tid Hernandes. Em outra arte, declarou seu amor à esposa, Bispa Sonia Hernandes.
Outros bispos e pastores da Renascer também têm tatuagens. A frase “Renascer até morrer” está estampada na pele dos religiosos.

Igreja Onda Dura

A Gaúcha ZH de Porto Alegre apresentou o pastor Emanuel Malinoski, em 2019. Ele ostentava 11 tatuagens e tinha, na época, uma teoria sobre a sua condição.

— Tem duas imagens principais que podem ser transmitidas. A primeira é: “quem é esse moleque tatuado pregando?! Só pode ser louco!”. A segunda é que a igreja aceita as pessoas como elas são. Espero que seja essa a que fique.