‘Tributo ao Papai’: filhos de Mr. Catra lançam turnê

Mr. Catra

Mr. Catra

O legado musical do artista carioca, que faleceu em 2018, será celebrado com a Turnê “Tributo ao Papai”. Alandin, Fernandinho, Kaliba e WL, filhos dele, formarão o quarteto ‘Filhos de Catra’. A iniciativa realizará uma série de shows pelo Brasil, em homenagem ao astro da música, que ficou conhecido popularmente como “Rei do Funk”, e tem estréia prevista para segunda quinzena de setembro.

Os principais envolvidos no show já possuem suas carreiras consolidadas no mundo do funk, e, inclusive, já tiveram a oportunidade de subir aos palcos cantando com seu pai. E para este novo show, pretendem provocar acordes de nostalgia com os inesquecíveis sucessos de Mr. Catra. Trazendo também a marcante voz do artista como grande destaque em certos momentos das músicas. Além de vídeos do funkeiro sincronizados com as canções.

A ideia do projeto partiu dos investidores Rodrigo João e Leandro Ramos, junto com a viúva do cantor, Silvia Catra, que passará a empresariar o quarteto. Segundo a dupla, que conhecia o cantor desde os anos 90, o ponta pé definitivo para a parceira foi uma matéria jornalística mostrando a situação da família, que teve que deixar sua mansão em São Paulo para voltar a morar em Bangu, na Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Eu comecei perceber que a nossa família poderia passar por alguns tipos de necessidades maiores, e ao mesmo tempo eu sabia que tinha artistas muito bons dentro de casa, mas que precisavam de direcionamento. Como ajudei o Catra muitas vezes, eu decidi não ficar parada nem deixar minha família chegar ao ponto de passar fome. Então comecei a administrar tudo isso da melhor forma possível”, conta Silvia.

A viúva de Catra, aliás, não excluiu a possibilidade de outros filhos do funkeiro também fazerem parte do projeto e afirmou que entre eles não há ciúmes. “Quando essa oportunidade surgiu, veio com a proposta de ser para quatro filhos. Então neste primeiro momento, colocamos eles. O que não quer dizer que os outros também não possam vir a fazer parte em outro momento. Todos levam isso muito na boa, porque na nossa família, no fundo, todos sabem que onde um for, todos vão”, afirma.

Para fazer bonito nos palcos, os “Filhos de Catra” estão fazendo aulas de canto pelo menos duas vezes por semana, e ensaiando muito também. De acordo com eles, a plateia pode esperar por performances dinâmicas que encantarão todos os fãs do seu pai. “O repertório será formado com canções imortalizadas na voz do meu pai, que até hoje é admirado pelo público. É uma excelente oportunidade para apresentar a todos eles parte da história do Mr. Catra que foi um dos principais impulsionadores do movimento funk no Brasil. Além de nos fazer se sentir um pouco mais perto dele”, finaliza Alandin.

Família também pretende processar tributos oportunistas que vem acontecendo dentro e fora do Brasil

Alandin, Fernandinho, Kaliba e WL garantem que está sendo uma honra para eles fazer parte desta homenagem ao pai, e se emocionam muito por ver o carinho e envolvimento que as pessoas ainda possuem com a arte do funkeiro. Mas segundo Silvia, acabou o oportunismo. Isso porque a família contratou um advogado para rever todos os tributos que já vem acontecendo pelo Brasil e pelo mundo, sem conhecimento e,consequentemente, autorização da família.

A maior vontade do Pai era que eles dessem continuidade ao que ele construiu. Então estamos felizes com o andamento das coisas. Mas cansei de oportunismo. Tem gente fazendo tributo ao Catra fora do país e muitos aqui no Brasil. Coloquei nossa advogada para ver isso! Acabou a farra com nome do meu marido. Vai ter que pedir autorização para usar o nome dele. Contratantes do Brasil e fora do País, os filhos vão fazer a homenagem ao pai agora!“, avisou Silvia.

Atitude de Anitta ajuda na retomada

A cantora Anitta anunciou, há duas semanas, que doará para a família Catra os direitos autorais da sua música em parceria com a rapper Cardi B e o produtor Papatinho. No single, uma letra inédita de Mr Catra será utilizada. A atitude foi festejada e agradecida pela viúva do cantor, que postou uma mensagem no seu Instagram: “ela poderia ter tomado outras atitudes e tinha várias opções… Mas foi além de simplesmente gravar uma música do meu amado @mrcatrareal, estendendo também a sua mão”, escreveu Silvia em agradecimento.

Sobre o Mr. Catra

Batizado Wagner Domingues Costa, Catra nasceu da união do frentista e passista Manoel Costa e da doméstica Elza Costa, mas foi adotado pelos patrões da mãe, o casal Gracy e Edgard Luiz Pinaud, que lhe deram uma vida confortável em um casarão no Alto da Boa Vista, área nobre do Rio de Janeiro. Ele foi criado na Rua Dr. Catrambi — de onde veio seu nome artístico, Mr. Catra. O artista, que estudou direito na Universidade Gama Filho, entrou para o mundo da música nos anos 1980, mas não como funkeiro. Seus primeiros shows foram como guitarrista da banda de rock chamada O Beco. Catra voltou a flertar com o gênero no disco Mr. Catra & Os Templários, com um estilo que ele chamava de “power funk ‘n’ roll”. Um de seus maiores hits gravado “Adultério”, uma paródia da música “Tédio”, lançada pelo Biquíni Cavadão. A paródia tomou proporção tamanha, que muitos acreditavam ter sido a versão dele a original da música. Pai de 32 filhos com mais de 15 mulheres, Catra mantinha três esposas oficiais e afirmava não ser infiel. O cantor morreu em setembro de 2018, aos 49 anos, vítima de câncer no estômago.

 

Por: Rennan Leta